sex, 23 fevereiro 2024
InícioDestaquesPreços do gás: Apesar da redução de 40% no preço do gás...

Preços do gás: Apesar da redução de 40% no preço do gás nas refinarias, consumidores enfrentam queda de apenas 8%

Em um cenário ideal, a queda de 40% no preço do gás de cozinha nas refinarias – de quase R$ 55 reais para R$ 32,96, conforme as distribuidoras pagavam à Petrobras pelo botijão de 13 kg no último ano – seria uma ótima notícia para os consumidores. Contudo, na prática, o alívio no bolso dos brasileiros que dependem do produto para suas necessidades diárias tem sido bem mais moderado.

Embora a redução dos preços também tenha chegado aos consumidores finais, a queda foi de apenas 8% no preço médio do botijão, que passou de R$ 112,50 para R$ 103,55 no mesmo período. Tal discrepância aponta para uma significativa desproporção entre a redução de custos nas refinarias e o valor que efetivamente chega aos consumidores.

A dona de casa Luciana Tavares exemplifica essa situação. Apesar de notar uma pequena redução no preço – o botijão que costumava pagar R$ 105, agora custa R$ 100 -, o valor continua pesando no orçamento familiar, especialmente para quem, como ela, enfrenta o desemprego e cuida de um marido doente em casa.

O DESMEMBRAMENTO DO PREÇO DO BOTIJÃO

Segundo dados da Petrobras, o preço cobrado pela estatal compõe apenas 31,8% do valor final do botijão; os impostos representam 15%; e mais da metade do valor é atribuída à distribuição e revenda.

Isso levou a Secretaria Nacional do Consumidor, do Ministério da Justiça, a notificar o Sindigás, sindicato que representa as distribuidoras, para esclarecer os preços praticados. Segundo o governo, as distribuidoras e revendedoras de gás de cozinha não estão repassando a queda dos preços aos consumidores na mesma proporção.

O Sindigás, em sua defesa, ressaltou que representa empresas que operam em um ambiente de livre concorrência e que não mantém qualquer relação com as mais de 60 mil revendedoras do produto. No entanto, o secretário Wadih Damos considerou a resposta insuficiente, destacando que o governo estuda a possibilidade de multar as distribuidoras caso seja comprovado que estão praticando preços abusivos.

O IMPACTO PARA OS MENOS FAVORECIDOS

Os altos preços do gás de cozinha impactam de maneira mais severa as camadas mais pobres da população. “Para um pobre, o gás barato não está. Porque já foi mais barato, agora está muito caro. Para um pobre está caro”, conclui Luciana Tavares.

Enquanto o desequilíbrio entre a queda dos preços nas refinarias e a redução sentida pelos consumidores persiste, as famílias mais vulneráveis continuam a sentir o impacto no orçamento familiar. Os próximos passos do governo e do Sindigás serão cruciais para determinar se essa tendência continuará, ou se alguma medida será tomada para garantir uma repartição mais justa dos custos do gás de cozinha.

Via ChicoSabeTudo

Relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Tempo Hoje

Petrolândia
nuvens quebradas
27.7 ° C
27.7 °
27.7 °
66 %
3.7kmh
70 %
sex
33 °
sáb
33 °
dom
32 °
seg
31 °
ter
33 °

Mais Lidas