dom, 21 abril 2024
InícioBolsonaroAto de Bolsonaro na Paulista reúne 185 mil pessoas, calcula grupo de...

Ato de Bolsonaro na Paulista reúne 185 mil pessoas, calcula grupo de pesquisa da USP

O ato convocado pelo ex-presidente Jair Bolsonaro (PL) na Avenida Paulista, neste domingo, contou com a presença de 185 mil pessoas. O cálculo é do grupo de pesquisa “Monitor do debate político”, da Escola de Artes, Ciências e Humanidades (EACH) da USP, coordenado por Pablo Ortellado e Márcio Moretto.

Os pesquisadores acompanharam a manifestação de apoio ao ex-presidente em meio às investigações da Polícia Federal (PF) por suposta tentativa de golpe de Estado. O grupo produziu imagens aéreas entre 15h, horário de chegada de Bolsonaro, e 17h, quando ele terminou de discursar, contabilizando o público presente com auxílio de um software.

Às 17h, a metodologia resultou na contabilização de cerca de 45 mil pessoas. A estimativa de 185 mil presentes, porém, é do pico da manifestação, justamente por volta das 15h, quando Bolsonaro cruzou a multidão até subir ao trio elétrico.

De acordo com o Monitor, foram tiradas 43 fotos da Paulista, e 11 delas foram selecionadas de modo a cobrir toda a extensão da avenida, sem sobreposição. Em seguida, cada imagem foi repartida em oito partes, sendo aplicada uma implementação do método Point to Point Network (P2PNet), que identifica cabeças e estima a quantidade de pessoas em uma fotografia.

Como foi o ato

O ato começou, oficialmente, às 14h, mas desde o início da manhã a Avenida, um dos cartões postais da capital paulista, já registrava movimentação intensa, com a presença de apoiadores do ex-presidente vestindo camisas verde e amarelo, além de bandeiras do Brasil, de Israel e de Bolsonaro estendidas nas calçadas. O Museu de Arte de São Paulo Assis Chateaubriand (Masp) ficou fechado neste domingo por conta da manifestação.

No último dia 12, o ex-presidente gravou um vídeo chamando seus seguidores às ruas para um “ato pacífico” e em defesa do “Estado Democrático de Direito”. Na mensagem, amplamente divulgada por aliados nas redes sociais, Bolsonaro prometeu rebater “todas as acusações” que lhe foram feitas nos últimos meses.

Ele ainda faz um apelo para que seus apoiadores não levassem cartazes “contra quem quer que seja”— as manifestações bolsonaristas frequentemente exibem faixas com ataques ao Supremo Tribunal Federal (STF) e seus ministros, recomendações que foram repetidas por aliados durante toda a semana em grupos bolsonaristas.

Durante o ato, o ex-mandatário falou que “passou quatro anos sendo perseguido” e que essa perseguição aumentou desde que deixou a presidência da República. Ele citou a minuta de um decreto para instituir o estado de sítio, mas disse que para isso seria necessária a convocação do Conselho da República e o Conselho de Defesa Nacional, o que ele não fez.

Ao discursar, Bolsonaro também disse que quer passar “borracha no passado”. Na mira da PF, o ex-presidente afirmou que “golpe é tanque na rua” e suplicou ao Congresso que aprove um projeto de anistia para perdoar os “pobres coitados” condenados pelos atentados à Praça dos Três Poderes em 8 de janeiro de 2023.

Via PE Notícias

Relacionados

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Tempo Hoje

Petrolândia
nuvens quebradas
21.6 ° C
21.6 °
21.6 °
95 %
2.6kmh
52 %
dom
31 °
seg
30 °
ter
30 °
qua
33 °
qui
28 °

Mais Lidas